"Acreditando na magia que existe na educação! Buscando ser a mudança que quero ver no mundo"!
CONTATOS: sunamitamagalialbuquerque@hotmail.com /sunamitanativaoliveira@gmail.com

segunda-feira, 25 de maio de 2009

509 ANOS DEPOIS - SAEM OS BUGREIROS, ENTRA A JUSTIÇA NA PERSEGUIÇÃO AOS NOSSOS ÍNDIOS


Kaiowá Guarani serão despejados para beira da estrada

Enviado por Edson Hely Silva - UFPE


Mais um despejo de uma comunidade do povo Kaiowá Guarani de Mato Grosso do Sul está marcado. Na terça-feira, dia 26 de maio, será um dia de muita tristeza, revolta e sofrimento para mais uma comunidade desse povo. Conforme determinação expedida pela Justiça Federal de Dourados, os indígenas deixarão o pequeno pedaço de seu sagrado território após a negociação firmada com Polícia Federal que já estava preparada para a retirada coercitiva dos indígenas com apoio da Polícia Militar.

Para o início deste dia está prevista o cumprimento do despejo de um pouco mais de uma centena de indígenas para beira da BR-163. A comunidade de Laranjeira Nhanderú está há quase um ano e meio em cerca de 450 ha, onde ainda restam os últimos resquícios de Mata Atlântica dessa região, em cujas árvores se abrigaram pacientemente durante este tempo. Segundo o Cimi (Conselho Indiginista Missionário, CPT (Comissão Pastoral da Terra) e outras entidades, ali, na terra de seus antepassados, no seu tekohá, aguardaram uma solução definitiva pelo Poder Público para poderem viver e trabalhar em paz com todos os seus direitos assegurados pela Constituição. Reconhecimento este que não veio, e que desencadeou mais uma violência: o despejo de um povo para a beira de uma rodovia.

\"Será mais uma grave injustiça que se estará submetendo uma comunidade Kaiowá Guarani no Mato Grosso do Sul. Até quando o Brasil e o mundo serão informados de tamanhas infâmias? É essa a forma escolhida para aumentar a violência, os assassinatos, os suicídios, a desnutrição, a fome e o genocídio desse povo?\", questionam as entidades.

Os movimentos sociais e entidades na luta pelos direitos humanos e garantia dos direitos dos povos indígenas no estado, vem se unir ao Movimento Indígena, no repúdio a mais esse ato, que consideram, ser \"de violência\" e exigir a continuidade dos trabalhos de identificação e demarcação de todas as terras Kaiowá Guarani, conforme o TAC firmado pelo Ministério Público Federal e FUNAI, e também os demais povos indígenas no estado, para que não se continue a perpetrar a negação de direito, e que geram o sofrimento e injustiça contra esse povo.

As entidades consideram absurada a proposta de troca dos legítimos 36.288 hectares do território tradicional do povo Terena em Miranda, já identificado e declarado pelo Governo Federal, por ínfimos 3.500 hectares de terra que sequer fazem parte de suas terras sagradas. \"Um absurdo repleto de ilegalidade e inconstitucionalidade, pois segundo o parágrafo 4º do artigo 231 da CF/88 as terras indígenas “são inalienáveis e indisponíveis, e os direitos sobre elas, imprescritíveis”\", afirmam.

\"Queremos também repudiar a discriminação e criminalização das lideranças e dos Movimentos Sociais que lutam pela vida na terra, pelo reconhecimento de um pedaço de chão para plantar e viver ou terem seus territórios reconhecidos conforme determina a Constituição Federal e a farta legislação internacional da qual o Brasil é signatário\", dizem na nota.

\"Só haverá justiça, democracia e paz, na avaliação das entidades, se forem reconhecidos os direitos básicos dos povos indígenas às suas terras tradicionais\", concluem as entidades.


NOTA DO EDITOR:
A cada matéria publicada pelos meios de comunicação deste país a respeito de nossos nativos, mais aumenta minha repulsa e indignação com a opção de retrocesso e passividade do povo brasileiro, em questões concernentes aos direitos do POVO INDÍGENA, que nas vias de fato (embora eles próprios não se considerem) são os legítimos e autênticos donos dessas terras.
Muitas vezes, chego a desejar em meio a todo esse escárnio, que tivessem eles poder de fogo e articulação, já que as coisas por aqui parecem só se resolver por meio de força bruta, ou, como faz o crime organizado, com muito dinheiro. Todos sabemos porque não se combate as drogas neste país, de forma incinsiva. A quem beneficiaria??!! Há muito dinheiro no tráfico, e não são os traficantes da favela os principais beneficiários. Pra estes, chega a polícia e as balas!
Enquanto formos hipócritas a este extremo, não haverá mudanças neste país. E onde vamos parar? Quem será a bola da vez? Há 509 anos que os "brancos" continuam dizendo o que é bom ou ruim para os índios, para os negros, para os pobres. Até quando permitiremos, nós, maioria de formiguinhas, que os gafanhotos nos explorem, sobrepujem e substimem nosso poder de reação?? ATÉ QUANDO SEREMOS APENAS TELESPCTADORES DA NOSSA PRÓPRIA HISTÓRIA??
R E A J A!
____________________________
Imagem: O livro negro do cristianismo - tortura de índios
Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails