"Acreditando na magia que existe na educação! Buscando ser a mudança que quero ver no mundo"!
CONTATOS: sunamitamagalialbuquerque@hotmail.com /sunamitanativaoliveira@gmail.com

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Turismo rural: É disso que Gravatá precisa!


O Turismo rural é uma modalidade do turismo que tem por objetivo apresentar como atração as plantações e culturas em áreas onde as mesmas, porventura, sirvam de referência internacional no chamado agronegócio.

Turismo rural no Brasil

Segundo o documento, do Ministério do Turismo do Brasil, "Diretrizes para o Desenvolvimento do Turismo Rural", a conceituação de Turismo Rural fundamenta-se em aspectos que se referem ao turismo, ao território, à base econômica, aos recursos naturais e culturais e à sociedade. Com base nesses aspectos, e nas contribuições dos parceiros de todo o País, define-se Turismo Rural como: “o conjunto de atividades turísticas desenvolvidas no meio rural, comprometido com a produção agropecuária, agregando valor a produtos e serviços, resgatando e promovendo o patrimônio cultural e natural da comunidade”.


Atividades turísticas no meio rural

As atividades turísticas no meio rural constituem-se da oferta de serviços, equipamentos e produtos de:

  • hospedagem
  • alimentação
  • recepção à visitação em propriedades rurais
  • recreação, entretenimento e atividades pedagógicas vinculadas ao contexto rural
  • outras atividades complementares às acima listadas, desde que praticadas no meio rural, que existam em função do turismo ou que se constituam no motivo da visitação.

A concepção de meio rural adotada nas Diretrizes brasileiras, baseia-se na noção de território, com ênfase no critério da destinação e na valorização da ruralidade. Assim, considera-se território um espaço físico, geograficamente definido, geralmente contínuo, compreendendo cidades e campos, caracterizado por critérios multidimensionais, como ambiente, economia, sociedade, cultura, política e instituições, e uma população com grupos sociais relativamente distintos, que se relacionam interna e externamente por meio de processos específicos, onde se pode distinguir um ou mais elementos que indicam identidade e coesão social, cultural e territorial.

Nos territórios rurais, tais elementos manifestam-se, predominantemente, pela destinação da terra, notadamente focada nas práticas agrícolas, e na noção de ruralidade, ou seja, no valor que sociedade contemporânea concebe ao rural, e que contempla as características mais gerais do meio rural: a produção territorializada de qualidade, a paisagem, a biodiversidade, a cultura e certo modo de vida, identificadas pela atividade agrícola, a lógica familiar, a cultura comunitária, a identificação com os ciclos da natureza.

O Comprometimento com a produção agropecuária identifica-se com a ruralidade: um vínculo com as coisas da terra. Desta forma, mesmo que as práticas eminentemente agrícolas não estejam presentes em escala comercial, o comprometimento com a produção agropecuária pode ser representado pelas práticas sociais e de trabalho, pelo ambiente, pelos costumes e tradições, pelos aspectos arquitetônicos, pelo artesanato, pelo modo de vida considerados típicos de cada população rural.

A prestação de serviços relacionados à hospitalidade em ambiente rural faz com que as características rurais passem a ser entendidas de outra forma que não apenas focadas na produção primária de alimentos. Assim, práticas comuns à vida campesina, como manejo de criações, manifestações culturais e a própria paisagem passam a ser consideradas importantes componentes do produto turístico rural e, conseqüentemente, valorizadas e valoradas por isso. A agregação de valor também faz-se presente pela possibilidade de verticalização da produção em pequena escala, ou seja, beneficiamento de produtos in natura, transformando-os para que possam ser oferecidos ao turista, sob a forma de conservas, produtos lácteos, refeições e outros.

O Turismo Rural, além do comprometimento com as atividades agropecuárias, caracteriza-se pela valorização do patrimônio cultural e natural como elementos da oferta turística no meio rural. Assim, os empreendedores, na definição de seus produtos de Turismo Rural, devem contemplar com a maior autenticidade possível os fatores culturais, por meio do resgate das manifestações e práticas regionais (como o folclore, os trabalhos manuais, os “causos”, a gastronomia), e primar pela conservação do ambiente natural.

No Brasil, são muito procurado o turismo rural em fazendas centenárias de Minas Gerais e Rio de Janeiro, como também passeios equestres no Pantanal Matogrossense e trilhas em fazendas históricas do interior paulista.


Fonte:

pt.wikipedia.org/wiki/Turismo_rural

_____________________________
NOTA DO EDITOR:

É este tipo de Turismo que deve ser praticado em nossa cidade, trazendo benefício para o homem do campo, agregando valor as nossas produções e cultivos, não apenas para os grandes hóteis e restaurantes do centro da cidade, que não contempla a população rural, que é maioria em nosso município!!
Até quando irão tentar nos empurrar goela abaixo que temos que parecer ou imitar lugares totalmente distintos e distante da nossa realidade??
Hoje, quem se aventurar até a cachoeira da Palmeira, defronta-se com um acesso difícil, deviso as péssimas condições da estrada, e tem que levar alimento, bebida e tudo o que precisar para desfrutar de um banho por algumas horas. O local não tem sequer uma barraquinha por perto, apenas as casas simples dos agricultores, moradores do local, que não obtém lucro algum com as visitas feitas ao local. A prefeitura apenas mostra fotos das águas, mas não mostra o que há no entorno da cachoeira. O mesmo acontece com o banho em D. Nadir e o distrito de São Severino. Não há hospedagens, apenas as pequenas casas das famílias, e só algumas pessoas aproveitam a viagem, normalmente com fins pedagógicos, para comprar os produtos orgânicos produzidos no local.
As outras imagens que são constantemente apresentadas pela Prefeitura de Gravatá como opções de turismo, são restritas as pessoas de grande poder aquisitivo, pois trata-se de Haras, Hóteis Fazenda e afins.
Sou moradora desta cidade há mais de 30 anos, e digo-lhes que só tive oportunidade de entrar em dois belíssimos hóteis fazenda, mediante capacitações promovidas pela própria prefeitura, quando utilizamos o auditório e o serviço gastronômico, e o outro em uma reunião administrativa, mas não para atividades de lazer. Os cavalos mostrados constantemente nas imagens de Gravatá, são exclusividade de quem pode montar um puro sangue.
Gravatá precisa ser respeitada em sua identidade, fazendo com que o munícipe sinta orgulho de estar aqui. Precisamos de políticos sérios e políticas que beneficiem de fato a população local, especialmente a de baixa renda, para assim, assegurar-lhes um direito já garantido na constituição federal: DIGNIDADE!!

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails