"Acreditando na magia que existe na educação! Buscando ser a mudança que quero ver no mundo"!
CONTATOS: sunamitamagalialbuquerque@hotmail.com /sunamitanativaoliveira@gmail.com

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

ORGÂNICOS DE GRAVATÁ SÃO DESTAQUE NO JORNAL DIÁRIO DE PERNAMBUCO

Orgânicos mudam vidas no Agreste



Gravatá // Livres de agrotóxicos, produtos mais saudáveis ganham espaço nas hortas mantidas pelos agricultores locais
Marcionila Teixeira
marcionilateixeira.pe@dabr.com.br


Das flores, Oneide Maria da Silva, 46 anos, não tem saudades. Não que não sejam bonitas ou perfumadas, mas é que a agricultora resolveu viver a vida sem elas por uma questão de saúde. Há sete anos, deixou para trás a produção de flores em Gravatá, no Agreste do estado, para investir em produtos orgânicos.

Oneide da Silva diz que repolhos do seu terreno são disputados na feira.
Fotos: Edvaldo Rodrigues /DP/D.A/Press
As dores de cabeça e os vômitos ficaram para trás junto com o uso de agrotóxicos. Para ela, restou uma produção de hortaliças mais saudável, que costuma passar aos seus clientes nas feiras de orgânicos, todas as semanas.

"Produção ainda é pequena diante da importância dos orgânicos"
Cleverland Campos - agrônomo

Oneide Maria integra o grupo Ama Terra, criado há dois anos a partir do Ama Gravatá, um dos primeiros de Pernambuco a trabalhar com agricultura orgânica. Hoje, o Ama Terra reúne 45 produtores do município, o que representa apenas 1% do total desses trabalhadores. A produção abrange atualmente 40 itens, entre eles banana, alface e rúcula. Todos livres de agrotóxicos e com maior teor de antioxidantes, vitaminas e minerais, destacam os especialistas. "Na feira de Bezerros, o pessoal briga pelo repolho produzido em meu terreno. Ele é crocante. A cenoura também é mais gostosa e o coentro, Ave Maria!", conta Oneide, orgulhosa da própria produção, em Olho D'Água, nos arredores do distrito de São Severino, onde fica a sede da Ama Terra.

A rotina estafante de Oneide, que começa às 5h e segue até as 18h, com uma parada de menos de duas horas para o almoço, já soa satisfatória para ela, mesmo que os lucros ainda não tenham chegado à sua horta. "Estamos ficando mais profissionais. Anoto quanto gasto, quanto apuro, mas ganho mais com esses alimentos que ganhava com as flores porque não passo para o atravessador. Os orgânicos são maravilhosos. Tem muita gente morrendo por causa do venendo e destruindo a natureza", defende Oneide. Mas ela acha que é uma questão de tempo e de organização para os agricultores desse tipo de alimento passarem a ganhar melhor.


Campos diz que cultura orgânica exige mais cuidados.
O agrônomo Cleverland José Campos, que acompanha a associação de São Severino, destaca que os orgânicos ainda não são produzidos em grande escala por todos os trabalhadores de Gravatá porque exigem mais cuidados, afinal são usados defensivos naturais e, no caso de não haver jeito para uma praga na plantação, é necessário destrui-la. "Estimamos que eles produzam de 8 a 10 toneladas por mês de orgânicos. Ainda é muito pouco diante da importância do produto", explica Cleverland.

Incentivo - Para o agrônomo, ainda falta incentivo para a atividade. "Uma lei federal, aprovada neste ano, prevê que as prefeituras do país são obrigadas a direcionar 30% do valor destinado à merenda escolar para a compra desses alimentos", lembra Cleverland. Segundo o secretário municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento, Aarão Lins de Andrade Neto, a lei passará a vigorar a partir do ano que vem. "Atualmente nós temos um programa em conjunto com a Conab e com os ministérios da Agricultura e Desenvolvimento Social para aquisição de alimentos junto a três associações de agricultores. Compramos os produtos, que não são orgânicos, e distribuímos nas escolas municipais. O grupo Ama Terra, no entanto, ainda não tem certificado de produtora de orgânicos fornecido pelo Ministério da Agricultura e por isso ainda não adquirimos as hortaliças dele", explica o secretário.

Segundo estudiosos do assunto, uma dieta orgânica está relacionada à prevenção de alguns tipos de câncer e doenças coronarianas, dermatites, sequelas neurológicas, esterilidade em adultos e alergias e hiperatividade em crianças. Outras vantagens básicas dos alimentos orgânicos são: não toxidade, melhorias para o meio ambiente, além de melhor sabor.

O município

Localização: Agreste Central, distante 85 km do Recife.
Área: 507 km2
Vegetação: Caatinga hipoxerófila e floresta caducifólia
Meses chuvosos: Março - Abril
População: 69.056 habitantes
Dia de feira: Sábado
Data de comemoração da emancipação política: 15 de março

Onde acontecem as feiras

Espaço Agroecológico das Graças

Endereço: Em frente ao Colégio São Luiz
Cidade: Recife Bairro: Graças
Telefone: (81) 3223-7026
Funcionamento: (sábados das 5h às 10h)

Espaço Agroecológico de Boa Viagem

Endereço: Segundo Jardin em frente ao restaurante Parraxaxá
Cidade: Recife
Bairro: Boa Viagem
Telefone: (81) 3223-7026
Funcionamento: (sábados das 5h às 10h)

Feira Agroecológica da Praça de Casa Forte

Endereço: Praça de Casa Forte - Av. 17 de Agosto
Cidade: Recife Bairro: Casa Forte
Telefone: (81)- 3421-1989
Funcionamento: (sábados das 5h às 10h)

Feira Agroecológica de Olinda

Endereço: Rua do Sol (Praça do Fortim do Queijo)
Cidade: Olinda Bairro: Carmo
Telefone: (81) 3658-1278
Funcionamento: (sábados das 5h às 10h)

________________________
Fonte:
Diário de Pernambuco do dia 24 de Fevereiro de 2010
http://www.diariodepernambuco.com.br/2010/02/24/interior1_0.asp

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails