"Acreditando na magia que existe na educação! Buscando ser a mudança que quero ver no mundo"!
CONTATOS: sunamitamagalialbuquerque@hotmail.com /sunamitanativaoliveira@gmail.com

segunda-feira, 11 de abril de 2011

ANTES QUE DESAPAREÇAM (Parte 3)


ARIKAPU



  • Onde estão: Rondônia
  • Quantos são: 33 (Funasa, 2010)
  • Família linguística : Jabuti
Os Arikapú viviam em grandes malocas em forma de colméia e sua subsistência se baseava na pesca, caça, coleta de frutas e insetos, e agricultura de roçado. Plantavam milho, macaxeira, amendoim, inhame, banana, cabaça e criavam larvas comestíveis de várias espécies de insetos.
Enterravam seus mortos dentro das casas, sentados e dentro de urnas funerárias de cerâmica, fechadas com tampas. Por cima do túmulo mantinha-se aceso durante dias uma fogueira para ajudar O ambiente tradicional dos Arikapú é a floresta tropical úmida. Segundo seus próprios relatos, sempre viveram nas cabeceiras do rio Branco.
Segundo Franz Caspar (1975), os Arikapú habitavam até 1955 a margem esquerda e os afluentes esquerdos do rio Branco, acima de onde fica hoje a cidade de Alta Floresta d’Oeste. Viviam acima dos Djeoromitxí. Seus vizinhos tradicionais eram também os Makurap e Wayurú de língua Tupi (família Tupari), que moravam rio abaixo, na margem esquerda do rio Branco. Na margem direita, viviam os Tupari, que eram seus inimigos. Mais abaixo ainda, estavam os Aruá de língua Tupi (família Mondé).
Os Arikapú viviam no alto rio Branco, mas o contato com os não-indígenas contribuiu fortemente para o abandono de práticas culturais e para a sua dispersão em duas Terras Indígenas diferentes e separadas geograficamente. Atualmente, uma parte dos Arikapú reside com outros grupos indígenas na T. I. Rio Branco, ao sul de sua área tradicional. A outra parte vive com outros povos na T.I. Guaporé, a mais de 200 quilômetros a oeste em linha reta e cerca de 350 quilômetros pelo rio, na divisa com a Bolívia.na preservação dos restos mortais. A família quando mudava de casa, levava muitas vezes consigo as urnas para re-enterrá-las na nova casa. O ambiente tradicional dos Arikapú é a floresta tropical úmida. Segundo seus próprios relatos, sempre viveram nas cabeceiras do rio Branco.
Segundo Franz Caspar (1975), os Arikapú habitavam até 1955 a margem esquerda e os afluentes esquerdos do rio Branco, acima de onde fica hoje a cidade de Alta Floresta d’Oeste. Viviam acima dos Djeoromitxí. Seus vizinhos tradicionais eram também os Makurap e Wayurú de língua Tupi (família Tupari), que moravam rio abaixo, na margem esquerda do rio Branco. Na margem direita, viviam os Tupari, que eram seus inimigos. Mais abaixo ainda, estavam os Aruá de língua Tupi (família Mondé).
Os Arikapú viviam no alto rio Branco, mas o contato com os não-indígenas contribuiu fortemente para o abandono de práticas culturais e para a sua dispersão em duas Terras Indígenas diferentes e separadas geograficamente. Atualmente, uma parte dos Arikapú reside com outros grupos indígenas na T. I. Rio Branco, ao sul de sua área tradicional. A outra parte vive com outros povos na T.I. Guaporé, a mais de 200 quilômetros a oeste em linha reta e cerca de 350 quilômetros pelo rio, na divisa com a Bolívia.

Fonte:
http://pib.socioambiental.org/pt/povo/arikapu/122

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails