"Acreditando na magia que existe na educação! Buscando ser a mudança que quero ver no mundo"!
CONTATOS: sunamitamagalialbuquerque@hotmail.com /sunamitanativaoliveira@gmail.com

segunda-feira, 18 de abril de 2011

19 DE ABRIL: O QUE NOSSOS ÍNDIOS TÊM PARA COMEMORAR?

Crianças Guarani-kaiowá do Mato Grosso do Sul: fome, morte, dor e abandono
 Só em 2011 já morreram 8 crianças indígenas no estado de Mato Grosso

No ano passado, foram 37 óbitos

 

Mais uma criança morreu em Campinápolis, a 562 km de Cuiabá, na região do Médio Araguaia (MT). Já são oito o número de mortes registradas somente em janeiro de 2011 no município. A criança tinha dois anos e morreu de pneumonia, mesmo problema que acometeu as demais que foram à óbito nos últimos 15 dias. Doenças parasitárias e infecciosas também têm vitimado crianças xavantes.
Existem cerca de 100 aldeias naquela região e a mortalidade infantil tem sido o principal problema vivido pelas comunidades indígenas de Campinápolis. No ano passado, foram 37 óbitos e que estariam ocorrendo pela precariedade dos serviços de atenção básica à saúde oferecida aos Xavantes pelo Ministério da Saúde.
 
http://www.portalodm.com.br/so-em-2011-ja-morreram-8-criancas-indigenas-no-mato-grosso--n--502.html
Assassinato do índio Galdino choca o país
Recordamos nesta quarta-feira, dia 19, um fato que envergonhou Brasília em 1997. O assassinato do índio Galdino Pataxó. Cinco jovens jogaram álcool no homem que dormia em uma parada e atearam fogo. Os cinco jovens que atearam fogo no índio Galdino Pataxó estão soltos desde 2005.
Assassino agora é funcionário federal!


Assassinos do índio Galdino Pataxó

Justiça condena 26 Xukuru à prisão em Pernambuco
Desde a retomada da luta pela terra, assassinatos e perseguições visam acabar com a organização do povo.


Índios protestam contra construção de Belo Monte em Londres

Se executada, hidrelétrica irá desalojar mais de 10 mil indígenas, que habitam a região há séculos, afogando suas origens, histórias e lembranças.

O GENOCÍDIO SURREAL DOS GUARANI-KAIOWÁ. 

Reportagem especial de Joana Moncau e Spensy Pimentel - publicada pela Revista CAROS AMIGOS 20/10/2010


O maior grupo indígena do país luta para escapar do extermínio, enquanto o fim do governo Lula consagrará um atraso de dezessete anos na demarcação de suas terras.
Imagine um lugar onde as pessoas têm expectativa de vida inferior à de países africanos em guerra, onde a taxa de assassinatos é semelhante à dos bairros mais violentos de metrópoles como São Paulo e Rio, e onde as taxas de suicídio estão entre as maiores do mundo. Imagine uma situação de racismo tal que você não pode frequentar um hospital, delegacia ou escola, nem ouvir a rádio, assistir às TVs ou ler os jornais sem ser humilhado cotidianamente. Imagine mais: além disso tudo, essa é a terra onde você nasceu, mas que lhe foi retirada à força por pessoas que se instalaram ali com o apoio do governo do seu próprio país, obrigando-o a se refugiar no país vizinho para sobreviver. E, se não bastasse tudo isso, quando você tentou voltar para recuperar o que era seu por direito, foi tachado de estrangeiro.

Indígenas do Povo Pukobyê-Gavião são ameaçados por fazendeiros em Amarante do Maranhão

http://pib.socioambiental.org/pt/noticias?id=94857


Assassinato de índios cresce 214% em 2007 em Mato Grosso do Sul

http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u361051.shtml

Jovens espancam e matam índio em MG

Índio teria sido seguido depois que saiu de festa em escola.
Três rapazes teriam admitido responsabilidade pelo crime - dois são menores.

 

Você ainda acredita que "índio quer apito"?!

RESPEITO AOS DIREITOS DOS POVOS ORIGINÁRIOS. ESSA É A  MELHOR MANEIRA DE COMEMORAR O "DIA DO ÍNDIO"!!

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails